ALIMENTAÇÃO/NUTRIÇÃO

Para ser consumido, o fruto precisa ter o pericarpo (de 0,5 a 1,0 cm de espessura) cortado cuidadosamente no sentido transversal, a parte de cima removida e os gomos brancos retirados com garfo ou com palito. Recomenda-se cuidado no corte do fruto, para evitar que a resina contida na casca, que tem forte sabor adstringente, entre em contacto com a polpa.

Várias tentativas têm sido feitas para preservar o fruto na forma de néctar, mas o mangostão é delicado, e o seu sabor é facilmente perdido. O pericarpo contém pectina, tanino e resina amarela. Na China extractos de pericarpo são usados para bronzeamento e tingimento de couro O córtex do fruto contém tanino, que é utilizado como tintura comercial.

O Durante séculos as populações do sudoeste asiático veneraram o mangostão, tanto pelo sabor como pelas propriedades nutritivas. O fruto inteiro, em especial o seu pericarpo, ou casca, rico em xantonas, tem sido utilizado tradicionalmente durante séculos. A madeira do tronco tem cor castanho-escura e tem sido usada na construção de mobílias.


A casca do mangostão, que representa quase 70% do peso do fruto, apresenta na sua composição uma classe de substâncias, conhecida como xantonas, que tem despertado grande interesse nas indústrias alimentar e farmacêutica. Essas substâncias possuem um poder antioxidante.

Na casca do mangostão, são encontradas inúmeras xantonas, de entre as quais a "mangostinone". Em decorrência dessa característica, o mangostão tem sido aproveitado integralmente, e diversos produtos são encontrados contendo o sumo de mangostão, no qual o produto é obtido a partir da trituração do fruto com todas as suas partes (casca, polpa e sementes).

Igualmente a casca tem acido tanino.

Desde à séculos, que se usava a casca do mangostão imersa em água e se usava com chá. A casca convertia-se em unguento e aplicava-se na pele como loção. Foi mediante os usos populares que os beneficios do mangostão se transmitiram ao longo da história, e muitos cientistas e exploradores se aperceberam deles.

Para fazer compota, as sementes são fervidas com igual quantidade de açúcar e alguns gomos de polpa durante 15 a 20 minutos e então vertido em jarros de vidro.

A casca do mangostão, ou o látex tem também sido utilizados desde à séculos como corantes naturais da seda por exemplo. Menciona-se este facto pois deve ter-se cuidado na manipulação mantendo-o afastado de roupas. Pode manchar tal como colorar as mãos durante algum tempo.


Nutrição e o Mangostão - Fitonutrientes


A palavra fitonutrientes deriva da palavra grega fito ( planta) e nutriente ( compostos alimentares necessários para as funções fisiológicas normais) também conhecidos como fitoquimicos - são compostos naturias bioactivos que se encontram nos alimentos vegetais.

A maioria dos fitonutrientes sobrepõem-se e complementam-se, oferencedo beneficios que incluem efeitos antioxidantes. Em resumo, os fitonutrientes especificos que se encontram em frutas e verduras funcionam em conjunto com outros nutrientes para proteger a sua saúde. Estes compostos vegetais protectores comformam uma área emergente dentro da saúde e nutrição, com publicações de novas investigações a saírem quase todos os dias.

Os fitonutrientes que se encontram no mangostão incluem os seguintes:

    • Xantonas
    • Catequinas
    • Proantocianidinas
    • Polisacarídeos

Os fitonutrientes mais fortes e mais investigados do mangostão são as Xantonas.

A elaboração cuidada do puré do mangostão completo para o sumo XanGo garante que todos os magnificos e saudáveis fitonutrientes da fruta enriquecem o sumo XanGo.


 

 

Mapa do site:
Home | Introdução | Descrição | Origem e Distribuição | Variedades | Clima | Solo | Propagação | Cultivo | Floração e Crescimento | Conservação | Pestes e Doenças | Xantonas do Mangostão | Receitas Culinárias | Xango - Sumo de Mangostão | Contactar | Quem somos | Politica de privacidade

Copyright © 2008 Paulo Rebelo